sábado, 2 de fevereiro de 2008

O Toque - Teoria da Exterogestação




Se levarmos em conta a nossa origem e a importância do toque, podemos até afirmar que somos todos carentes e mal amados. Somos filhos do AMOR e nascemos para viver em comunidade. Mas, a necessidade do toque, não é só por isso.
Para entendermos melhor, vamos voltar um pouco no passado e tentar compreender porque tanto sacrifício nosso e de nossa mãe nos últimos minutos que antecederam nosso nascimento.
Nossa gestação na verdade, ao que indicam os estudos, não parece estar completada dentro do útero até os 266 dias e 12 horas, quando devemos nascer (UTEROGESTAÇÃO).

A mãe natureza se encarrega desta tarefa, devido ao tamanho do nosso cérebro que levaria o crânio a dimensões impossíveis de permitir um nascimento por parto normal no final da gestação. Este final se dá por volta dos nove meses depois do nascimento, quando se encerra o período da gestação fora do útero (EXTEROGESTAÇÃO). Devido a imaturidade, todo o sofrimento provocado pelas contrações do útero, são na verdade massagens necessárias para ativar os intestinos, vias respiratórias, circulação sangüínea e tudo mais que permite nossa sobrevivência saudável.

Observe a mamãe gata e mamãe cadela com seus filhotes. Quantas lambidas que interpretamos como sendo limpeza. Note bem os pontos mais lambidos. Abdome (intestinos), órgãos genitais (necessidades fisiológicas) e o peito (tórax, vias respiratórias). Mas, também lambe por todo o corpo ativando sensibilidades e circulação sangüínea.

Nos animais, cujo trabalho de parto é muito rápido a a contração do útero é pouca, se fazem necessárias essas massagens (lambidas) para garantir a sobrevivência do filhote. Tanto que, se separarmos um filhote de sua mamãe logo após o nascimento sem compensar essas carícias (massagens), mesmo sendo bem alimentado, fatalmente morrerá com problemas intestinais, respiratórios, dificuldades para evacuar, urinar e outras.



Nós humanos aprendemos muita coisa errada mesmo antes do desenvolvimento completo do feto, o que torna difícil de compreender certas atitudes em pessoas que aparentemente são normais, mas respondem a condicionamentos inconscientes, fazendo coisas anormais.

Devemos ter um cuidado especial com nossos bebês durante os primeiros nove meses de vida. A importância de mamar não é somente pelas substâncias apropriadas do leite materno, e sim pelo carinho e aconchego que acontece naturalmente no relacionamento dos envolvidos nesse ato.

Atenção: Os bebês nascidos de cesariana antes de ter ocorrido um trabalho de parto, deverão ser tratados de forma diferenciada, ou seja, com massagens especiais e muito carinho, sob pena de terem que enfrentar os problemas citados anteriormente, durante e depois do crescimento.

A PELE é na verdade o MAIOR ÓRGÃO do nosso corpo e atua também como um grande sensor ativando tudo e todo o organismo. Se não recebemos durante o nosso desenvolvimento, toques e carinhos de forma adequada, fatalmente teremos que enfrentar mais tarde problemas de relacionamento pessoal e até de saúde.

Uma mixagem com textos do Livro "O Toque" de Ashley Montagu da Summus Editorial.
http://www.motivacao.org/
por: Egídio Garcia Coelho

Resumindo:
Quanto mais acolhido o bebê, mais facilmente dá-se a transição, menos cólicas o bebê tenderá a sofrer e mais sinapses se formarão entre os neurônios, coisa que, ao menos em tese, otimiza as respostas cerebrais.
Uma maneira de simular o calor e o conforto proporcionados dentro da barriga é usando um sling ou um canguru.


Agora que você conhece um pouco mais da importância do toque, do aconchego, do colinho, porquê não experimentar uma forma simples de passar mais tempo dando toda esta atenção para seu bebê??
Aproveite e vamos "slingar"!!!

2 comentários:

Egídio Garcia disse...

Mundo pequeno!
Passei por aqui, logo fui me identificando com o texto e pra minha surpresa era meu e devidamente publicado com os merecidos créditos, no que sou grato.
Bjs na alma/Egídio

Anônimo disse...

q honra esta presença aki!